Barba de serpente: cuidados e como utilizá-la na sua casa

5
(3)

É muito comum que as pessoas busquem por plantas de forração para utilizar em jardins ou projetos paisagísticos, já que essas são uma ótima opção para trazer ainda mais beleza e variedade verde para o local. É por isso que o foco do artigo de hoje é a Barba de serpente – planta vastamente escolhida para esse fim.

O que poucas pessoas sabem é que folhagens para forração, assim como essa espécie, também colaboram com a proteção do solo e ajudam com o desenvolvimento de plantas que gostam de um substrato mais úmido, uma vez que elas ajudam a reter a água e dificultam sua evaporação rápida.

A barba de serpente ou Ophiopogon jaburan, como é conhecida cientificamente, também pode ser encontrada pelos nomes de Ofiopógão e Ofiopogo. Essa é uma espécie de planta herbácea, perene, com folhagem ornamental e bastante parecida com gramíneas.  

Atinge aproximadamente 40 centímetros de altura, sendo 20 centímetros o seu mínimo. Apresenta folhas longas e estreitas que se assemelham com fitas. São recurvadas e coriáceas – ou seja, apresenta um certo brilho e, por isso, tem uma aparência parecida com o couro.

As folhas da barba de serpente tem coloração verde escura, com estrias brancas ou amarelas em determinados pontos. Além disso, também podem surgir algumas inflorescências durante a época do verão. Normalmente, elas se apresentam em formato de sino nas cores branca e roxo. Após a floração, inclusive, essa espécie forma alguns pequenos frutos azuis no lugar das flores.

Se você gosta desse estilo de planta e quer saber sobre como cultivar a barba de serpente com os cuidados corretos para que ela dure por bastante tempo, é só continuar acompanhando o artigo abaixo.

Nele, vamos abordar mais profundamente sobre os cuidados, regas, adubação e valor médio das mudas de Ophiopogon jaburan. Boa leitura e acompanhe as informações! 😉

Taxonomia da Barba de serpente

  • Domínio: Eukaryota;
  • Reino: Plantae;
  • Sub-reino: Tracheobionta;
  • Ordem: Asparagales;
  • Família: Ruscaceae;
  • Gênero: Ophiopogon;
  • Espécie: Ophiopogon jaburan.

A família Ruscaceae é uma família da Nolinoideae que agrupa, atualmente, cerca de 30 gêneros e entre 475 e 700 espécies de monocotiledôneas. São plantas com ampla distribuição natural nas regiões temperadas, subtropicais e tropicais de todos os continentes, com destaque para a Ásia, América do Sul e América do Norte também.

Dentro dessa família, inclusive, algumas espécies têm alto valor ornamental e outras, por sua vez, apresentam um uso bastante comum na chamada medicina natural, sendo consideradas como ótimas plantas curativas.

Ophiopogon é um gênero presente na família Ruscaceae é caracterizado, principalmente, pela sua diversidade em plantas rasteiras, folhagens e trepadeiras.  Essas plantas se desenvolvem em larga escala e são ótimas também para decoração.

As espécies, majoritariamente, são do clima tropical, subtropical e mediterrâneo e, em determinado nível, podem ser muito utilizadas como plantas ornamentais em regiões mais quentes, inclusive devido a sua boa durabilidade de suas folhagens.

Existem, atualmente, mais de 45 espécies dentro do gênero e cada uma das espécies tem diversas variações.  Atualmente, entre essas já citadas, temos as seguintes:

  • Ophiopogon japonicus;
  • Ophiopogon jiangchengensis;
  • Ophiopogon latifolius;
  • Ophiopogon lushuiensis;
  • Ophiopogon mairei;
  • Ophiopogon marmoratus;
  • Ophiopogon megalanthus;
  • Ophiopogon menglianensis;
  • Ophiopogon motouensis;
  • Ophiopogon multiflorus;
  • Ophiopogon ogisui;
  • Ophiopogon paniculatus;
  • Ophiopogon peliosanthoides;
  • Ophiopogon pingbienensis;
  • Ophiopogon planiscapus;
  • Ophiopogon platyphyllus;
  • Ophiopogon pseudotonkinensis;
  • Ophiopogon reptans;
  • Ophiopogon reversus;
  • Ophiopogon revolutus;
  • Ophiopogon sarmentosus;
  • Ophiopogon sinensis;
  • Ophiopogon sparsiflorus;
  • Ophiopogon stenophyllus;
  • Ophiopogon sylvicola;
  • Ophiopogon szechuanensis;
  • Ophiopogon tienensis;
  • Ophiopogon tonkinensis;
  • Ophiopogon tsaii;
  • Ophiopogon umbraticola;
  • Ophiopogon xylorrhizus;
  • Ophiopogon yunnanensis;
  • Etc.

Características da Barba de serpente


Fonte: OLX

A barba de serpente é considerada como uma planta perene e com características de forração. Tem um caule mais frágil, mas suas raízes apresentam boa resistência – esse é um ponto relevante para atentar-se no momento de replantios.

Ela é nativa da Ásia e pode ser encontrada em vários países, incluindo China, Japão, Taiwan e Vietnã. É uma planta popular para uso em paisagismo devido à sua folhagem atraente e resistente, além de suas flores únicas.

Normalmente, o ideal é cultivar a barba de serpente em sol pleno ou meias sombras (inclusive, atente-se apenas para a quantidade de sol direcionada para a planta para evitar que suas folhas queimem). Para seu bom desenvolvimento, o solo precisa ser fértil, drenável, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado com certa regularidade – falaremos sobre isso mais a frente.

A barba de serpente também pode ser considerada como uma espécie resistente, já que consegue tolerar geadas e o frio do inverno (no entanto, o inverno tropical). Não há necessidade de podas frequentes, mas isso colabora com a renovação da planta. 

Quando pensamos na sua fertilização, é importante mencionar que podem ser feitas a cada ano ou, se preferir, de forma bienal também. Matéria orgânica em geral é a melhor opção para seu desenvolvimento, além de uma manutenção mais frequente.

Em resumo:

  • A barba de serpente cresce cerca de 40 cm de altura e se espalha lentamente através de rizomas subterrâneos;
  • Suas folhas são estreitas, longas e verdes escuras, medindo cerca de 30 cm de comprimento e 0,5 cm de largura;
  • Geralmente floresce no final da primavera e no início do verão, produzindo pequenas flores roxas ou brancas que são mantidas em hastes longas e finas.

A Barba de serpente e o paisagismo

Essa espécie é comumente usada em projetos de paisagismo para adicionar textura e cor a jardins e bordas de canteiros. Suas folhas longas e estreitas formam uma moita densa e atraente, enquanto suas flores roxas ou brancas acrescentam um toque de cor durante a primavera e o verão.

A Barba de serpente é uma planta medicinal?

Apesar de não ser tão conhecida por esse fim, sim! Podemos considerar a barba de serpente como uma planta medicinal. Normalmente, ela pode ser usada na medicina tradicional chinesa, onde é conhecida como “mai men dong”. Suas raízes são usadas para tratar alguns problemas de saúde como tosse, bronquite e outras condições respiratórias.

Curiosidades sobre essa espécie

Abaixo, listamos algumas curiosidades a respeito da barba de serpente que encontramos durante nossas pesquisas para a confecção desse conteúdo. Confira!

  • Ophiopogon jaburan é uma das poucas plantas que contém o composto natural ácido ursólico, que é conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias e anticancerígenas.
  • A planta é considerada um símbolo de permanência e supervisão na cultura chinesa e frequentemente apresentada em casamentos e outras ocasiões auspiciosas.
  • Ophiopogon jaburan é conhecido por seus efeitos de redução de estresse e relaxamento e é frequentemente usado em aromaterapia e outros tratamentos holísticos.

Como cultivar a Barba de serpente?


Fonte: Pinterest

A barba de serpente pode crescer a partir de sementes no solo mas também multiplica-se através da divisão das touceiras – o qual é seu tipo de propagação mais comum.

O cultivo da barba de serpente pode acontecer direto na terra ou em vasos quando utilizado dentro das casas. Atente-se, no entanto, ao espaço disponível para o crescimento dela. 

As irrigações devem ser frequentes porém não em abundância devido ao risco de encharcamento, preocupe-se apenas em manter o solo levemente úmido e molhe também suas folhas.

Por fim, em relação a preços, é possível encontrar uma muda de barba de serpente a partir de R$ 25, podendo chegar até R$ 130, a depender do seu tamanho.

Como cuidar da Barba de serpente?


Fonte: Cristina Braga | Folhas e folhagens

Chegamos ao momento de falarmos mais especificamente sobre os cuidados e processos importantes para o cultivo da barba de serpente. Como mencionado em dado momento, é importante atentar-se à quantidade de luminosidade e ao processo de rega, dois pontos super importantes para o sucesso do plantio.

 Acompanhe abaixo com mais detalhes outros cuidados!

Clima

A barba de serpente é nativa da Ásia e, no geral, se dá muito bem com o clima tropical, meditarrâneo, continental e subtropical também – já que gosta de calor e de umidade. 

Além disso, é uma planta que deve ser administrada, preferencialmente, em sol indireto ou meia sombra, aceitando bem essas duas opções – até por isso vive dentro de casa sem grandes problemas.

Solo

O substrato ideal para a barba de serpente precisa ser fértil, de textura mais leve, permeável, enriquecido com matéria orgânica (apesar de não obrigatório), e drenável também.

Uma mistura muito boa para o substrato dessa espécie pode ser feita através de terra vegetal, areia, casca de pinus e húmus de minhoca, por exemplo. Para deixá-lo ainda mais drenável, a argila expandida ou cacos de telha pode ser incluída no fundo do vaso.

Poda

A poda da barba de serpente é necessária caso seja importante controlar seu crescimento – e, provavelmente, você precisará fazer esse processo em algum momento.

Regas

As regas da barba de serpente podem ser feitas de forma regular. Sempre mantenha o solo úmido e também molhe suas folhas para aumentar ainda mais a umidade.

Faça o processo de irrigação uma vez a cada 2 dias, porém, uma boa opção também é utilizar a técnica do “dedômetro” para verificar se há necessidade de colocar mais água na planta.

Adubação

A adubação da barba de serpente pode acontecer de forma anual ou bienal. Em ambos os casos, o ideal é acontecer no início da primavera e, para isso, é possível utilizar esterco de gado ou compostos orgânicos. 

Uma fertilização com NPK 10-10-10 é suficiente para garantir um bom desenvolvimento desta planta.

Esperamos que o artigo sobre a barba de serpente tenha sido útil e que você comece a cultivá-la aí na sua casa. Qualquer dúvida, não esqueça de deixar nos comentários. Aproveite o tempo no blog e leia também sobre plantas rasteiras!

O que você achou desse conteúdo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *