O cultivo e as propriedades do Gengibre Azul!

4.9
(78)

O conteúdo de hoje é sobre mais uma espécie da série “plantas medicinais” e com propriedades que melhoram a saúde das pessoas.

O Gengibre Azul, cujo nome científico é Dicorisandra, é uma planta com origem aqui no nosso país (porém, algumas pessoas acreditam que ela foi plantada em 1822, pela primeira vez, na Inglaterra) e, apesar de ser muito linda e encantadora, é um tipo ainda pouco visto e cultivado.

Apesar disso, em algumas casas de paisagismo ou floriculturas, o Gengibre Azul é vendido em mudas, sementes, bulbos ou em vasos já bem desenvolvidos.

Não é uma planta cara ou super difícil de cuidar e, por isso, o objetivo desse conteúdo também está relacionado a dissipar essa planta incrível.

Se você gosta do Gengibre Azul e deseja cultivá-lo ou está apenas à procura de uma planta medicinal para ter em casa, então, esse conteúdo é para você. Continue lendo o artigo e aproveite as dicas!

Taxonomia do Gengibre Azul

  • Reino: Plantae
  • Divisão: Magnoliophyta
  • Classe: Liliopsida
  • Ordem: Commelinales
  • Família: Commelinaceae
  • Gênero: Dichorisandra

Características da planta Gengibre Azul


Imagem: Mundo Ecologia

Além de Gengibre Azul, também é possível encontrar essa planta com os nomes de Marianinha, Trapoeraba-azul ou Cana de Macaco.

É uma espécie arbustiva com uma coloração bastante vistosa e o verde de sua folhagem é mais escuro. Junto aos seus galhos e durante praticamente o ano inteiro, é possível encontrar cachos de flores em tons de azul violeta.

Por ser uma planta perene e de florescimento que se dá em quase todo o ano, pode ser cultivada em apartamentos, casas, em jardins direto no chão ou em vasos também.

Como sua origem é brasileira, o Gengibre Azul é uma planta que prefere o clima tropical mas, ao mesmo tempo, também pode ser bastante flexível em relação às temperaturas. Alguns especialistas comentam que a planta consegue sobreviver a geadas, por exemplo, e assim que o frio acaba já é possível ver suas flores novamente.

O Gengibre Azul pode atingir cerca de 2 metros de altura, mas é possível limitar o crescimento através de podas ou do cultivo em vasos menores – assim, a planta acaba desenvolvendo menos e não atinge todo o seu potencial.

Como cuidar do Gengibre Azul?

Como já mencionado, o Gengibre Azul não é um tipo de planta difícil de ser cultivado – no entanto, assim como várias outras espécies, ela pode sofrer com pragas durante seu desenvolvimento, principalmente o pulgão e cochinilhas.

Se isso acontecer, o ideal é cuidar bem da planta para que a praga não se espalhe e a tome por toda parte. Além desse cuidado, é importante que as regras e luminosidade sejam seguidas à risca para o melhor crescimento do Gengibre Azul.

Acompanhe abaixo outros cuidados importantes!

  • Rega: a rega da flor Gengibre Azul pode ser feita de forma regular e vai variar conforme os meses. No caso, durante as estações da primavera ao outono, o ideal é que ela seja regada a cada dois dias. No caso dos meses mais frios, o solo deve ficar totalmente seco antes de dar água à planta – isso pode acontecer a cada 3 ou 4 dias.
  • Luminosidade: o Gengibre Azul prefere o sol pleno mas também se dá bem com meia-sombra ou luminosidade decorrente de janelas ou portas. Eu tenho um Gengibre Azul e ela fica na porta da sacada do apartamento – por sinal, ela adorou esse lugar. 😉
  • Adubação: para o processo de adubagem, a flor Gengibre Azul não se mostra resistente. É possível fazer uso de matéria orgânica, de fertilizantes 15-15-15 ou de adubos solúveis em água 1 vez ao ano.
  • Clima: por ser um planta originalmente brasileira, o clima ideal para o Gengibre Azul é o tropical ou semi-árido.
  • Solo: o solo dessa flor precisa ser soltinho e deve ter bastante matéria orgânica. Além disso, o solo precisa ser bastante drenável para evitar excesso de umidade nas raízes.
  • Poda: a poda do Gengibre Azul também não tem segredos. Nesse caso, é possível aparar galhos e folhas mais secas ou cortar os galhos logo perto do caule para evitar que ela cresça demais.

E como cultivar Gengibre Azul?


Imagem: No Figueiredo

O processo de plantio do Gengibre Azul vai depender do estágio da planta que você encontrará à venda. Normalmente, as plantas já são vendidas em muda e, depois que plantadas, não precisam de transferência de lugar ou replantio.

No caso do cultivo do Gengibre Azul em sementes, o ideal é que o processo seja feito em épocas mais quentes do ano – o que colabora com o desenvolvimento da planta e pode diminuir o tempo para que ela apareça sobre a terra.

Gengibre Azul é comestível?

Essa é uma pergunta muito feita a respeito do Gengibre Azul e, sim, é uma planta comestível.

Apesar disso, deve-se tomar cuidado com o consumo de altas doses da planta já que reações adversas ainda são pouco estudadas, mas acredita-se que ela pode dificultar o processo de digestão quando consumida demais.

Para seu consumo, é possível fazer chá com suas folhas e flores e, inclusive, comê-la em saladas, por exemplo.

Propriedades medicinais do Gengibre Azul

A planta Gengibre Azul pode ser usada para fins estéticos, já que é uma flor que tem propriedades emolientes e, com isso, podem hidratar a pele e deixá-la com uma aparência mais saudável.

Um outro benefício é sua ação diurética por aumentar o volume de urina produzida. Além disso, o Gengibre Azul também pode ser usado para fortalecer a massa óssea e para o tratamento de dores musculares ou contusões também.

Esperamos que esse conteúdo sobre a planta Gengibre Azul tenha sido útil para você. Aproveite o tempo e leia também sobre a Estrela do Egito!

O que você achou desse conteúdo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 78

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

4 comments

    1. Moro no RS e aqui conhecia só como flor da enxaqueca, dada a eficácia do chá das flores ou folhas para essa dor de cabeça!
      Mas estou buscando mais informações, gratidão!

  1. Moro no RS e aqui conhecia só como flor da enxaqueca, dada a eficácia do chá das flores ou folhas para essa dor de cabeça!
    Mas estou buscando mais informações, gratidão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *